sexta-feira, 22 de julho de 2011

Viagem a Porto de Galinhas - Segundo dia


Somente no segundo dia é que fomos à praia. A Laurinha gostou, mas começou meio desconfiada do mar, apesar de ser muito calmo, devido aos recifes que formam grandes piscinas naturais. Por outro lado, a praia é bem rochosa, chegando a ser um pouco perigosa, pelo risco de machucar os pés.


Brincando na praia

Mas a Laura não estava nem aí para as rochas. Ela entrou no mar, viu peixinhos e caranguejos, brincou na areia e colheu algumas conchinhas (que jogou fora logo depois!)

Brincando na praia

Foi engraçado que, na volta da praia, ela não cismou e não quis mais molhar o pé no mar! Ao chegar no hotel, foi direto para a piscina e, como sempre, curtiu bastante.

Curtindo a piscina com a mamãe...

Havia um casal com uma menininha, ainda bebê, também chamada Laura. Nossa Laurinha se aproximou e, muito amigavelmente, disse pra eles: "Hello, guys!" Foi tão engraçado! E eles também ficaram rindo.

... e com o papai

Depois de um tempo ela sentiu fome e nos sentamos em uma cadeira, à beira da piscina, pra ela lanchar. Passado algum tempo a danadinha fez xixi, apesar de termos avisado que estava sem fralda e que não devia fazer. Corri e coloquei a toalha pra absorver.

Levamos ela pro quarto, para se limpar, mas ela cismou que queria mamar primeiro. Dissemos que somente depois do banho, pois ela estava suja de xixi. E aí o mundo desabou, com intenso choro! Nessas horas o negócio é ter paciência e ser coerente. Ficamos no banheiro, esperando por ela e chamando-a, dizendo que iria mamar somente após uma chuveirada, pois estava suja de xixi. Ela chorava copiosamente para convencer a Junia, mas ficamos aguardando. Ela cansou de chorar e acabou vindo, toda vermelha! Lavamos seu bumbum, ainda com muito choro, e finalmente a Junia lhe deu de mamar. Em seguida ela dormiu.

Depois que acordou, enchi as boias para ela brincar na piscina privativa. Ela adorou, mas não quis subir, com medo de cair, pois não são nada estáveis. Brincou bastante com a Junia na água. Eu fiquei de fora, pois achei muito fria, apesar de já passar das duas da tarde. Também, além do tempo estar meio nublado, o sol se põe muito cedo nessa época do ano. Às quatro da tarde o sol já está muito baixo e começa a anoitecer pouco depois das cinco.

Piscina privativa

Enquanto a Laurinha brincava na piscina, finalmente chegou o almoço no quarto. Foi decepcionante: além de demorado, conseguiram errar o pedido justamente da Laurinha, mandando um macarrão sem nada, ao invés de macarrão com molho de salsicha. Além disso a comida veio fria e faltando talheres. Nesse momento, aquela boa primeira impressão que tivemos do Hotel Nannai, no primeiro dia, foi por água abaixo. Liguei pra reclamar e soltei os cachorros, pois minha filha estava com fome. Alguns minutos depois chegou o prato correto, mas ainda sem os talheres! Reclamei novamente, mas almoçamos assim mesmo, usando colher. Impressionantemente e sem exagero, somente meia hora depois vieram trazer os talheres.

Depois disso ela quis voltar pra piscina privativa. A água estava ainda mais fria, mesmo para ela, e tivemos que ser extremamente pacientes para convence-la a ir pro Kids Club. Ela adorou lá, pois tem uma grande quantidade de brinquedos, playground e piscina com escorregador. De fato teve um momento em que ela queria ir pra piscina, mas não achou a porta de entrada e acabou desistindo.

Brincando no playground do Kids Club

No Kids é possivel contratar servico de babá e também deixar as crianças passarem o dia com os animadores. Confesso que é algo tentador, mas a Laura ainda é muito novinha e achamos que não ficaria sem a gente por muito tempo. Além do que, essa viagem foi para vê-la se divertir mesmo e não para passarmos tempo sem ela.

Depois fomos tomar o chá da tarde, muito bom por sinal. Mas como era perto das piscinas, tivemos que convencê-la (novamente!) a não ir pra água, principalmente porque já estava escurecendo e a água devia estar gelada.

Voltamos pro quarto para dar uma relaxada e mais tarde saímos pra jantar. O jantar é servido somente a partir das 19:30. E tem sido meio difícil no restaurante, porque a Laura rapidamente quer descer da cadeira,  mesmo antes de eu e a Junia termos tempo de comer. Então usamos o recurso do iPod para distraí-la. Aliás, o iPod tem sido fundamental, pois faz com que ela fique um pouco concentrada em alguma coisa e possamos comer, pentear seu cabelo, etc. Como eu disse no post anterior, enchi o aparelho de novas apps e filmes para ela, de modo que distração é que não falta. Claro, isso nos dá a preocupação extra de como será quando voltarmos pra casa, pois não queremos que fique "viciada" no iPod, brincando com ele o dia inteiro. Mas aqui, na viagem, como já estamos fora da rotina, resolvemos relaxar e unir o útil (pra nós) ao agradável (pra ela).

Nenhum comentário:

Postar um comentário