terça-feira, 17 de março de 2009

A Tal da Chupeta

Antes da Laurinha, pensávamos que chupeta não era algo bom e que significava seguir o caminho mais fácil, ao invés de tentar acalmar o bebê de outras formas. Depois de ler bastante sobre o assunto e ter opinião de alguns especialistas, vimos que há ainda muita controvérsia sobre o assunto. Mas, ao que parece, a principal tem a ver com visões românticas sobre criar bebês e, algumas vezes, idéias acadêmicas retrógradas.

Para se ter uma idéia da controvérsia, encontramos um pediatra que diz que a chupeta é uma praga. E outra que diz que a chupeta é necessária em muitos casos. Ouvimos até uma fonoaudióloga que diz que a chupeta pode ser utilizada e que é melhor que o bebê chupar o dedo! E que as chupetas ortodônticas de hoje não prejudicam a dentição.

Bem, depois de ter tido a Laurinha, que é um bebê com uma grande necessidade de sucção, tiramos nossas próprias conclusões, sem paixões ou utopias. E percebemos como é importante a chupeta em alguns casos. Isso porque, pelo menos no início, a Laurinha não queria sair do peito. Ela acordava chorando o tempo todo, mesmo de madrugada, e a única forma de acalmá-la era colocá-la no peito. Do contrário, por mais que tentássemos tranquilizá-la, o choro ia ficando cada vez mais incontrolável e podia durar horas (literalmente!).

Também estava claro que não era sempre fome, pois muitas vezes ela tinha mamado durante meia hora, sem parar, e menos de uma hora depois já mamava por mais meia hora, e assim por diante. A Junia já estava enlouquecendo, pois quase não sobrava tempo nem para se alimentar direito, muito menos dormir!

Nossa pediatra chegou a cogitar que talvez a Laurinha já sugasse a mão dentro do ventre. E, de fato, temos alguns ultrassons em que ela suga o dedo da mão e um em que aparece sugando até o pé!

Começamos, então, a tentar usar a chupeta para acalmá-la já no final da segunda semana. O problema é que nossa danadinha não gosta de chupeta e não é sempre que aceita. Mas, por fim, com ajuda de um pouco de Funchicórea (que a pediatra liberou), ela começou a aceitar mais a chupeta e fica mais calma quando a está sugando.

Mas ainda não consegue manter a chupeta na boca por muito tempo. De acordo com o que aprendemos no DVD The Happiest Baby on the Block, do Dr. Karp, a técnica para o bebê aprender a chupar chupeta é ficar puxando ela da boca do bebê, de forma que ele a sugue com mais força. Ou seja, é exatamente o contrário do que estávamos fazendo no início. Seguindo essa técnica começou a ficar mais fácil para ela segurar a chupeta.

A moral da estória é que, depois de muito tentar, nossa filhinha ainda tem certa dificuldade em pegar a chupeta. E normalmente ela não a pega deliberadamente: nós é que insistimos um pouco quando ela está muito agitada, até que ela aceite e comece a se acalmar.

Mas, sinceramente, achamos que ela nunca vai gostar muito da tal da chupeta!

Um comentário:

  1. ih amiga, nós também somos muito fãs da chupeta... o Rafo não vive sem ela.... só recomendo que compre várias de várias marcas, porque em caso de perda, sua baby não fique muito nervosa por estar acostumada com uma só....Paty Ctba

    ResponderExcluir