quinta-feira, 26 de junho de 2014

Reading on the go: the new generation


Sempre amei ler. Depois que a Laura nasceu, como conto nos posts "Reading on the go" e "Vivendo, lendo e aprendendo", buscar literatura sobre desenvolvimento infantil, criação, disciplina, educação, desempenharam um papel central na minha adaptação à maternidade. Vou além: diria que esta literatura desempenhou papel central em nossa adaptação e desenvolvimento como família.

Conto com orgulho que a Laura nunca ficou de castigo ou muito menos apanhou para "aprender" a se comportar. Temos uma dinâmica familiar que considero muito bem sucedida (não perfeita, claro!). E atribuo boa parte deste sucesso às tantas coisas que os livros nos ajudaram a colocar em prática. As leituras passaram por desenvolvimento cognitivo, emocional... personalidade, literatura alinhada com attachment parenting e positive discipline (há muitos links para livros e artigos relacionados aqui no blog. Role a página e veja o quadro "Leituras recomendadas" à direita)... Hoje não tenho dúvida: criar um filho é algo muito complexo e importante demais para deixarmos tudo por conta da intuição e/ou senso comum. "Quem ama educa"? Eu diria que quem ama se educa!

Aliás, um parêntese: falando em "Quem ama educa", do Içami Tiba. Foi um dos primeiros que li na minha busca de informações. Não me lembro o suficiente do livro para fazer um comentário justo, mas o que posso dizer é que não deixou uma boa impressão. Pode ter sido o momento em que li. Mas, foi um dos livros que me fez pensar que deveria existir algo mais. E fui parar na seção de "Parenting" da Amazon.  Lá o meu problema foi selecionar títulos dentre a fartura de opções.  Quando eu procurava nas livrarias no Brasil, se desse sorte, encontrava algo escondido na seção de auto-ajuda ... Não sei se as coisas melhoraram de lá para cá, mas este era o cenário de 5 anos atrás.

Para não ser injusta com a literatura nacional, um dos livros que li e também me impulsionou em busca de opções mais adequadas para nossa família foram os então best sellers,  da "encantadora de bebês", Tracy Hogg, como conto neste post.

Enfim,  infelizmente, como vão notar, a maioria da literatura que recomendo é em inglês, sem versão disponível no Brasil.



Mas, voltando à leitura, o que começou como necessidade logo virou fascinação e quase compulsão. Fiquei absolutamente viciada em literatura relacionada a educação e desenvolvimento infantil!! Só que, tempo para ler é, digamos... um fator limitante. Para otimizar meu tempo, pude contar com as medias eletrônicas. Elas me apresentaram um novo modelo de leitura: ler a qualquer hora e em qualquer lugar.

Hoje tenho grande quantidade de ebooks no meu celular, principalmente para Kindle. Embora tenha Kindle (dispositivo), acabei preferindo o celular pela praticidade. Leio em qualquer lugar quando tenho um pouco de tempo. Aprendi a valorizar qualquer minuto disponível e hoje tenho uma lista considerável de livros lidos. Salas de espera e filas podem ser o paraíso :) Como diz Gretchen Rubin no seu "Happiness Project" a gente subestima o que é capaz de fazer em pequenos intervalos de tempo se for disciplinado para usá-los de forma consistente.

Ok, até aqui falei mais do mesmo em relação aos posts relacionados. Agora, a novidade:  não só voltei a ler livros fora do meu tema preferido, como estou lendo mais. E até reli alguns livros. Como, se mal tinha tempo para ler os livros que considero prioritários?! Agora tenho uma nova arma: audiobooks.

Tudo começou ao me interessar pelo livro "Welcome to your child's brain".  Não tinha versão para Kindle. Ou importava o livro (papel, oh, no!) ou comprava o audiobook. Conversei com o Douglas e decidimos experimentar. Para ler o livro, deveríamos assinar um serviço, da Amazon, o Audible. O acesso ao serviço é por meio de uma de uma app para IOS e Android. Há vários tipos de assinatura que te concedem créditos para adquirir livros. Fizemos a assinatura básica (grátis no primeiro mês!) e adoramos!

Hoje audiobooks são a nossa principal forma de "leitura". Como é tudo da Amazon, alguns são sincronizados (tecnologia Whispersync) com o livro texto para Kindle. E se paga mais barato para adquirir a versão para Kindle de um audiobook que você já tem e vice-versa.

No início eu literalmente parava para ouvir, como fazia quando lia um texto. A medida que  me adaptei a velocidade da narração e minha compreensão do áudio foi melhorando, eu passei a ouvir os livros enquanto fazia tarefas domésticas. Foi aí que a mágica aconteceu: assim consigo ler muito mais. E, por tabela, estou aprimorando meu listening. As good as it gets!

Todos usufruímos do serviço, inclusive a Laura, pois há livros para o público infantil. Às vezes colocamos livros para ela ouvir ao invés de contarmos ou de ela ler uma história. A experiência é bastante agradável. Os livros são lidos por narradores profissionais e às vezes até por atores.

Até agora, a única coisa que lamento é que nem todos os títulos que procuro tem audiobook, apesar da variedade ser bem grande. Fica a dica: Audible. Recomendadíssimo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário