quinta-feira, 26 de junho de 2014

Mais Docinho


Comentei há algum tempo atrás das frases da Laura que nos encantavam pela inocência e pela douçura. Parte do que ela fala é reflexo do que está acostumada a ouvir. Mas há sempre momentos que nos marcam mais ou nos surpreendem... O tempo passa e é certo que vamos esquecer! Então melhor registrar o que ainda está na memória!
Um momento docinho com o papai
Da escola

"But, mommy.. I love Enzo! He is in my heart and now my heart is broken!" ("Mas, mamãe... Eu adoro o Enzo! Ele está em meu coração e agora meu coração está partido!"). Ao saber que um de seus amiguinhos prediletos iria mudar para o turno da tarde... Sim, ela ficou bem. Costuma se expressar com intensidade, mesmo!

A Laura e muitas de suas coleguinhas tem playdates. No dia que alguma delas vai receber outra amiguinha em casa, raramente deixam de compartilhar a novidade. É natural que isso seja motivo de ciúmes, mas nunca ouvi nada muito intenso neste sentido por parte da Laura. Ao contrário, ao me contar que as amiguinhas iam pra casa da Catarina, amiguinha de quem ela gosta muito, ela disse: "I hope Luisa and Bárbara have lots of fun with Catarina!" ("Espero que Luisa e Bárbara se divirtam muito com a Catarina!") Isso com um rostinho sincero e alegre. E me pediu para convidá-las também um dia...  ;-)

Na última páscoa, perguntei se ela queria fazer cartões para suas professoras. Ela ficou empolgadíssima! Comprei papel colorido, adesivos, glitter...  Eis o resultado:

Cartões para as misses  Analu, Luana e Yasmin.
Super educada

Em alguns momentos, por pura ternura pela Laura viro para ela e digo, "Lolly, you're such a joy to be around!" (algo como "Lolly, eu aprecio tanto sua companhia!"). Ela sempre faz carinha de modesta e diz coisas como, "Aw, shucks!" (algo como "Imagina!") ou "Thank you, mommy!". Da última vez saiu um "You are a joy to be around, too, mommy!"... "Aw, shucks!", digo eu!

Bons sonhos

Durante a rotina na hora de dormir, é um festival de carinho!

Eu e o Douglas vamos para o quarto com ela que escolhe um livro para ler ou pede para o papai fazer a leitura. Depois são os beijos e os "eu te amo" de boa noite e apagar as luzes. Eu e Douglas cantamos uma canção de ninar juntos. Depois disto o Douglas se despede e eu faço companhia e canto até ela dormir.

Fazemos questão de cercar este momento de aconchego e segurança. Hora de dormir não deixa de ser um momento de separação, a que a Laura sempre foi muito sensível e ainda é, embora venha amadurecendo.

Neste momento, às vezes rola uma "disputa" para ver quem ama mais a outra. Aí a Laura finaliza: "I love you the size of the universe and all the galaxies together!".  ("Eu te amo do tamanho do universo e de todas as galáxias juntas!") Eu posso no máximo amar o mesmo tanto, né?

Às vezes, depois que o Douglas já saiu do quarto, ela se senta na cama , me abraça para me dar mais um boa noite,  e dizer: "If you have a bad dream, or need me, you  can call me, ok?"  ("Se tiver um pesadelo ou precisar de mim, pode me chamar, tá?"). Sempre dissemos isso para ela, que pode chamar a mamãe ou o papai se precisar... Agora tá retribuindo. :)

Outras vezes complementa o boa noite com um carinho na testa minha e/ou do papai, dizendo: "For you to have good dreams" ("Para você ter bons sonhos".).

Superpoderes

Outro dia estávamos brincando e ela já tinha me passado o script: ela ia ficar triste porque não tinha superpoderes e eu ia ajudá-la fazendo uma mágica. Quando "fiz" a mágica ela disse: "Mommy, you're a star!... You made my dream come true!" (Mamãe, você é uma estrela! Você fez meu sonho se tornar realidade!).

Pai herói

Semana passada o Douglas comprou um grampeador para móveis para concertar o forro do sofá que estava soltando. Quando a Laura viu o resultado da façanha do papai exclamou: "Daddy, you're a hero! You earned a badge!Wait, I'm going to make a medal for you!..." ("Papai, você é um herói! Você ganhou um distintivo! Espere, vou fazer uma medalha pra você!..") E correu para o quarto, desenhou uma estrela, escreveu "Dad" (Pai) no centro, recortou e trouxe correndo pro Douglas. Pena que perdemos o tesouro!! :-/

Questão de família

É duro ser criança: todos os adultos dizendo a você o quê, quando e como fazer o tempo todo! Claro que isso acontece por uma razão, mas não tem que ser exatamente assim... Podemos ajudar a criança a sentir mais controle sobre a própria vida, por exemplo, dando a ela a chance de participar de decisões de que ela já tem condições de participar ou deixando ela tirar conclusões sobre como resolver um problema ao invés de chegar com a solução pronta. O mais importante é que com isso ela aprende a tomar decisões e resolver problemas por conta própria.

Nós procuramos praticar coisas do gênero, envolvendo a Laura em pequenas decisões do dia-a-dia, como: que caminho seguir para o playground ou o que vestir.  Ou ainda considerando suas escolhas para a sua festa de aniversário. Também costumamos perguntar para ela qual a solução para o problema, quando ela nos apresenta alguma reclamação ou pedido, antes de ajudarmos a achar a resposta ou responder.

Ainda assim, nos últimos tempos ouvimos um "I hate this family thing! You just boss me around all the time!..." ("Estou cheia deste negócio de família! Vocês só mandam em mim o tempo todo!").  E saiu pisando duro...

Não,  este não foi um momento de conflito. Encaramos como uma oportunidade de avaliar se estamos esquecendo de dar opções para ela ou precisamos melhorar nossa comunicação.

O maior dos prêmios

A frase mais recente que ouvi da Laura: "Mommy, you're the best in doing everything for me and helping me with things I don't know!" ("Mamãe, você é a melhor em fazer tudo pra mim e me ajudar com as coisas que eu não sei!").  Alguém deseja ouvir mais do que isso? Derreti.

Nenhum comentário:

Postar um comentário