sexta-feira, 24 de abril de 2009

The Mamas and The Panic

O nervosismo da Laurinha enquanto mama tem voltado nos últimos dias. Ela começa a mamar e, após uns 10 minutos, começa a ficar tão nervosa que chega a empurrar a mama com as mãozinhas cerradas! Parece um bichinho querendo fazer sair mais leite da mãe. Talvez por essa analogia a mamãe, Junia, começou a desconfiar que seu leite estivesse diminuindo e que talvez a Laurinha estivesse recebendo menos alimento do que precisava.

Começamos então a adotar a prática, não recomendável, de trocá-la de mama quando ficasse muito nervosa e se recusasse a continuar na mesma mama. Então, após alguns minutos, ela ficava novamente nervosa e trocávamos de volta para a primeira, até que desse um tempo razoável de mamada ou que ela não quisesse mais de jeito nenhum.

O problema persistiu por vários dias e a mamãe foi ficando cada vez mais tensa com a situação, o que contaminou o papai e a babá. Todo mundo começou a acreditar que talvez a Laurinha, nesses episódios, estivesse até passando fome, tadinha! Chegamos a levá-la ao hospital três vezes em uma semana, uma delas ao pediatra de plantão e as outras duas ao banco de leite.

No banco de leite, da primeira vez, concordaram que o problema poderia ser de redução de fluxo e sugeriram pedir ao pediatra um complemento. Pra piorar a situação, ao pesar a Laurinha no hospital, a balança estava descalibrada em relação à que temos em casa e mostrou que a Laurinha estava ganhando muito menos peso do que o esperado! AHHHHHHHHHHHHHHHH! (pânico)

Imediatamente, a mamãe entrou em contado com a pediatra da Laurinha para orientação e, tendo em vista os últimos dados, a pediatra recomendou o NAN Soy na mamadeira. Compramos uma penca de mamadeiras com válvula no bico e começamos a tentar dar a ela o complemento quando ficava nervosa ao mamar. Mas nem sempre ela aceita o complemento e chega mesmo a não sugar a mamadeira e a ficar com a boca cheira de leite, chorando, como se estivesse detestando o gosto! Particularmente eu não gosto da idéia de estar enfiando leite goela abaixo da menina e concluo que se ela não quer, é porque não está com fome. Mas a mamãe fica preocupada, achando que está com fome mas não consegue mamar!

Os nervos da mamãe estavam à flor da pele com a situação. Ela fazia compressas quentes nas mamas e tomava o tal "Chazinho da Mamãe". Após aconselhar-se com uma médica e garantir que era seguro, passou a tomar Motilium (aquele remédio para melhorar o trânsito intestinal, mas que tem o efeito colateral de aumentar o volume do leite) e a pingar no nariz um remédio a base de ocitocina para ajudar a descer o leite. Tudo isso parece ter funcionado no que se refere ao volume do leite, mas a Laurinha continuava agindo como se não fosse o suficiente...

Bem, sabendo que nossa filha é um bebê exigente, eu, o papai, andava desconfiado desse comportamento. Será que o problema não era outro? Já sabíamos que ela é muito reativa quando as coisas não estão do jeito que ela gosta. À primeira vista, oproblema parecia ser que a mama não estava do jeito que ela gosta, mas será que, necessariamente, tem a ver com a produção de leite?

Podia ser, por exemplo, que estivesse sentindo alguma dor ao mamar. Chegamos a fazer um exame ecográfico para verificar se ela tem problema de dor devido a refluxo. A médica, ótima por sinal, nos mostrou que não tinha nada disso, que a Laurinha está ótima e que essas coisas estão na cabeça dos pais. Temos é que ter paciência e tentar suprir as necessidades dela. E que parte da teoria do papai deveria estar certa. A mamãe chegou a insistir com a médica de que achava que seu leite estava pouco para o bebê. A médica simplesmente pressionou o bico de uma das mamas e o leite esguichou até o outro lado do consultório! Não precisa dizer mais nada, né?

Resumindo, embora a mamãe não esteja plenamente convencida de que o problema não é seu leite, observando o comportamento da Laurinha chegamos a um certo consenso quanto aos limites do problema:

- Algumas vezes ela pode querer sugar a mama sem que saia leite. Isso porque nossa filha sempre teve muita necessidade de aconchego e de sucção. Porém, não gosta de chupeta (a não ser em situações específicas), mas adora o peito da mãe.

- Talvez ela goste mais do leite inicial. Grosso modo, o leite materno desce em duas fases durante a mamada: o primeiro leite é bem ralo, rico em lactose e serve mais para matar a sede. O segundo é mais grosso, rico em gordura e serve mais para satisfazer a fome. Durante uma mamada, leva, em média, uns 10 minutos para que termine o primeiro leite e comece o segundo. Por coincidência, esse é o tempo que a Laurinha leva para começar a reclamar.

- Talvez ela sinta algum desconforto ao mamar. De fato, muitas vezes ela solta "puns" enquanto mama e não é raro que ela comece a reclamar na mama logo após um desses "puns". É engraçado como a mamada estimula o intestino dos bebês. É o reflexo gastro-cólico.

Em resumo, o problema não são as mamas, mas sim que nossa pequenininha gosta das coisas do jeito dela!

2 comentários:

  1. Deus te abençoe!
    Encontrei esse blog pelo Google tentando ajudar uma amiga com um principe de um mes e é bem claro e esclarecedor.
    Bom poder compartilhar e ajudar outras mães, ne?
    Parabens.

    ResponderExcluir