terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Segundo trimestre


25/08/2008 - Início da 13a semana. Fui toda animada para minha consulta pré-natal. Os enjôos pareciam diminuir. E esperava que a gineco promovesse minha gravidez para "normal", afinal, o trimestre chegava ao fim e estava correndo tudo muito bem. Mas ela optou por uma fase de transição até a 16a semana: por enquanto, só menos progesterona e um pouco de atividade física. Tudo bem, prudência, dinheiro no bolso, canja de galinha...

01/09/2008 - Início da 14a semana. Tinha sido alarme falso. Ou só uma trégua: o enjôo estava de volta com o mesmo comportamento de antes: náusea o dia todo, com picos pela manhã e à noite. Depois de resistir um semana, o jeito foi voltar para o meclin (remédio para enjôo), ai, ai...

22/09/2008 - Início da 17a semana. Hoje teve ultra-som. I-m-p-r-e-s-s-i-o-n-a-t-e como no espaço de 5 semanas o desenvolvimento é acelerado. Desta vez vimos, com perfeição, feições de um bebê, e chupando o dedinho!! Muitas novidades desta vez. Até o ultra-som anterior, a medida do tamanho era feita da cabeça ao bumbum. Agora ela está muito grande para medir assim e se faz um cálculo considerando o tamanho do fêmur e outros parâmetros. Agora, da cabeça aos pés temos 21 cm! Sim, disse ela porque a grande novidade, claro, foi descobrirmos que é menina! O peso também foi medido pela primeira vez: 204g. 

25/09/2008 - Consulta pré-natal. Hooray! Agora minha gravidez já pode ser considerada "normal"... para uma mulher "da minha idade" (Tá bom, fui eu que escolhi engravidar mais tarde, não posso me incomodar com o comentário ;). A médica confirmou que está tudo bem e pudemos matar a saudade ouvindo o coraçãozinho da Laurinha de novo. Quanto a mim, vou ter que conviver mais com o enjôo. A médica disse que, embora o medicamento seja relativamente seguro, o melhor mesmo é não tomar remédios, se isso for possível...

29/10/2008 -  Consulta pré-natal. Na segunda, 27, teve também ultra-som morfológico do 2o trimestre e dopplerfluxometria obstétrica. Do último mês para cá,  dois destaques: o fim dos enjôos (ufa!) e início dos "cutucões" da Laurinha. Comecei a sentir seus movimentos mais ou menos a partir da 14a semana. No início, não era mais do que uma tremidinha no ventre e não percebia sempre. Agora percebo os movimentos várias vezes ao dia. E são bem vigorosos, o que permite ao papai sentir também. Tem sido uma delícia vivenciar e compartilhar as mexidas da Laurinha com o Douglas. Não dá para explicar como é gostoso!

Estávamos com saudades de ver a Laurinha e ansiosos pelo ultra-som. Agora ela está com 28 cm e 493g, o que significa um desenvolvimento normal, exatamente na curva de crescimento para esta fase.  Super emocionante ver cada vez mais detalhes: boquinha, nariz, olhinhos, dedinhos dos pés e das mãos, todos os orgãos internos formados ou amadurecendo, os movimentos cada vez mais sofisticados!... E ela bebendo líquido amniótico, com soluço e segurando o pezinho? Ficamos doidos!!!

Além da emoção de ver a Laurinha, o ultra-som teve outras, pois faltou luz quase no final do exame. Isso significaria perder toda a parte inicial da gravação! Mas, para minha felicidade, o Douglas conseguiu recuperar os arquivos do DVD!!! O problema virou sorte, pois ficamos com uma gravação do exame maior que o normal: a de antes de acabar a luz e a da retomada do exame, que implicou em repetir algumas partes. 

Como disse, além do ultra-som morfológico, fiz também um exame chamado dopplerfluxometria, que avalia como está a circulação feto-placentária. Este exame revelou uma pequena alteração (incisura). Fiquei meio preocupada até a Dra. Geovana explicar o que significava. Segundo ela, esta alteração no fluxo indica uma pré-disposição para a pré-eclâmpsia. Alterações desta natureza (circulação entre o feto e placenta) podem podem ainda afetar o ganho de peso do bebê. Mas, como ela disse, só pré-disposição: a incisura vai ser monitorada, mas não há mais nada nos outros exames que aponte para isso. Minha pressão tende a ser baixa e não sofreu qualquer alteração até hoje. E todos os exames de laboratório estão ótimos. 

Enfim, saímos da consulta felizes da vida com a evolução da gravidez!

31/10/2008 - Só para registrar o "aniversário" da barriga. Estou entrando oficialmente no 6o mês de gravidez!

27/11/2008 - Desde o último relato, tudo correndo com tranquilidade. Este foi o dia da minha consulta pré-natal e também do ultra-som. Tivemos dificuldades técnicas, de novo. A primeira delas foi a pane do sistema do ultra-som que não permitiu que fossem feitos os cálculos de peso e tamanho da Laurinha na hora. Ainda estamos na expectativa para saber o quanto ela cresceu. O laudo ficou pronto somente na sexta e ainda não pudemos buscar.  

A segunda dificuldade foi com os arquivos do DVD, que, sabe-se lá por que motivo,  não estamos conseguindo converter para um formato de video. Assim, estamos postando as novidades à medida que elas ficam disponíveis.

Voltando ao ultra-som: está cada vez mais emocionante!  Está tudo ótimo com a Laurinha. Ela é muito ativa e pudemos vê-la dando seus passinhos de balé (leia-se chutando ;-) ao vivo e em... preto e branco. Além disso, para nos deixar doidos pelo ultra 4D, o Dr. Evaldo nos deu uma palinha de como será. Agora vai ser mais difícil esperar até a 29a semana!!

Neste último período o exame mais importante que fiz (fora o ultra, é obvio!) foi o de intolerância à glicose.  O resultado foi excelente, o que significa nem sinal de diabetes gestacional. Tudo bem com os demais exames também. Mas a nossa menininha já está exigindo mais nutrientes, e a Dra. Geovana me alertou para a queda no nível de alguns deles no meu sangue, como cálcio e ferro. Isso significa que é bom passar de novo pela nutricionista e avaliar o que suplementar. De minha parte, já estou mais atenta à alimentação. Mas, como disse a Dra, "estou uma grávida muito saudável", só manter os cuidados e estar atenta às mudanças :-)

30/11/2008 - Último dia do segundo trimestre!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário