terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Natal 2011

Este anos decidimos passar o Natal e o Ano Novo em Minas Gerais. Os avós maternos da Laura moram em Sete Lagoas e os paternos em Belo Horizonte.

A Laura ficou muito feliz quando dissemos que iríamos viajar pra ver os avós. Também estava bem interessada em viajar de avião. Apesar de já ter voado várias vezes, acho que ela não se lembra.

Coloquei bastante coisa no iPod dela pra ter com o que se distrair, como os desenhos animados Bubble Guppies, Super Why, etc.

Saímos de casa no dia 24, bem cedo, e fomos de táxi pro aeroporto. A ida foi bem tranquila e a Laura se divertiu. Estava doidinha pra entrar no avião. Mas depois que entrou, ficou impaciente, fazendo a toda hora  contagem regressiva de 10 até 1 e dizendo ao final "let's go!"  :-) Quando o avião começou a se mover ela achou que já iria decolar, mas demorou ainda um tempo antes de decolar. Quando finalmente aceleramos pra subir, ela ficou toda animada, olhando pela janela e rindo!

Laura ansiosa pela decolagem

Fazendo um lanchinho no avião

Chegamos em BH sem atrasos e o Vovô Antônio veio nos buscar pra nos levar pra Sete Lagoas. Chegamos na casa da Vovó Glória no início da tarde e a Laurinha estava super curiosa com tudo. A última vez que ela esteve na casa da vovó havia um ano e não devia nem se lembrar. De qualquer forma, a casa era outra, visto que os pais da Junia se mudaram no início do ano.

Como nossa estratégia de bilinguismo é conversar com a Laura sempre em inglês dentro de casa e em português fora, decidimos que passar quase duas semanas falando só português não seria legal. Consideramos, então, que dentro da casa da vovó somente falaríamos em inglês com ela. Mas quando outras pessoas estivessem na conversa, obviamente falaríamos em português. E funcionou direitinho.

E foi tão legal vê-la alternando entre inglês e português! Por exemplo, certa noite o céu estava bem estrelado. Como sempre foi apaixonada com o céu e nunca deixa passar quando vê uma estrela ou a lua, saiu para o quintal gritando, em inglês: "Look, the stars! Lots of stars!" (Olha, as estrelas! Muitas estrelas!). Correu pra dentro de casa chamando a vovó, gritando em português: "Vovó, vem! Tem estrelinha, olha lá!" E, logo em seguida, ficou doidinha ao ver a lua crescente. Gritou: "The moon, look! Sooo beautiful! Somebody bit the moon!" (A lua, olha! Tão linda! Alguém mordeu a lua!)


Reconhecendo o terreno com o sapato da vovó!

A Laura costuma assistir a muitos programas educativos na TV. Ultimamente tem visto pouca TV a cabo e mais seriados, tais como Bubble Guppies e Super Why. Para ela não sentir falta, levamos a Apple TV. Como o vovô Noraldo tem um roteador wireless e uma TV com entrada HDMI, não houve problemas para instalar. Dessa forma, era possível passar diretamente os filminhos, fotos e vídeos do iPod para a TV na sala. A própria Laurinha sabe como fazer! Ah, sim, e também dava para assistir Youtube diretamente da TV dessa forma. Na noite de Natal, deixei passando na TV um slideshow com fotos da Laurinha de todas as épocas. Todos ficaram encantados.





No dia seguinte, de tanta correria no quintal, a Laura deu uma topada e machucou o dedão do pé. Chegou a cortar e gotejar sangue, mas bem pouquinho. Foi a primeira vez que ela viu sangue escorrendo e, se não fosse a dó que deu, teria sido uma situação bem engraçada. Antes de ver o sangue, ela só deu uma choradinha. Assim que viu o sangue, começou a gritar que o dedo estava vermelho e que não queria que ficasse vermelho! Literalmente, ela chorava, meio desesperada e olhando para o dedo: "No, mommy, I don't want it to get red!" Tivemos que explicar pra ela o que era sangue e que era normal acontecer de vez em quando. Colocamos um band-aid e ela, claro, foi contar para a vovó o ocorrido: "Vovó, a Laura caiu e machucou! E ficou vermelho! E colocou band-aid!"


Passeio em uma praça em Sete Lagoas
Os avós da Laura a veem quase toda semana via video chat, mas pessoalmente só a cada seis meses ou  até mais. Sendo assim, nessa viagem, cada coisinha que a Laura fazia era motivo de muito paparico. E, claro, ela adora ser paparicada e retribuía fazendo ainda mais gracinhas! Chamava os avós o tempo todo para verem o que estava fazendo. Queria que a vissem fazendo xixi no peniquinho, tomando banho ("Vem vovô, eu tô tomando banho com o meu pato!"), trocando de roupa, etc. Também comandava algumas brincadeiras com os avós. Por exemplo, ficava pedindo pra eles cantarem a vinheta do PBS Kids (lá lá láaaa lá lá, pbs kids!) e eles morriam de rir com ela!


Dentre outras coisas que fizemos, fomos visitar a Tia Lúcia, irmã do Vovô Noraldo, na cidadezinha de Cachoeira da Prata, próxima a Sete Lagoas. É uma cidade de menos de 4 mil habitantes. A Laura gostou de ver galinhas e alguns pássaros. Mas teve medo dos micos que apareceram no alto das árvores. Acho que foi porque ela não conseguiu identificar direito o que eram, pois eles são muito arredios. Comeu queiro mineiro e biscoito de polvilho e depois fez um passeio na praça da igrejinha.


Fazendo pose na frente da igrejinha, em Cachoeira da Prata


Num dos dias eu fui até BH passar o dia na casa dos meus pais. Acabei voltando no início da noite e os ônibus estavam muito atrasados, provavelmente devido às chuvas. Com isso, pela primeira vez, perdi o horário de contar história para a Laura dormir! Depois a Junia me disse que, quando a levou para o quarto para botá-la pra dormir, a Laura disse: "Let's call Daddy?" (vamos chamar o Papai?), já pensando na história. A Junia então explicou que eu ia demorar pra chegar porque estava ainda no ônibus. Ofereceu-se para ler a história e a Laura disse: "No, Mommy, don't read it!" (não, Mamãe, não leia!) Afinal, quem lê a história é o papai! Mas dormiu sem maiores problemas.


Laura com os primos Gaby e Felipe

Nos dias em que meus pais vieram trazendo a Gaby, a Laura passava o tempo todo atrás dela, pois adora brincar com crianças maiores. Chamava a Gaby para o pula-pula o tempo todo! O engraçado é que a Gaby, que é cheia de energia e não consegue ficar parada, não estava conseguindo acompanhar o ritmo da Laura.

Laura na casa da bisa Madalena com a prima Maria Eduarda

Dentre alguns episódios engraçados da viagem, teve um dia em que a Bisa Madalena fez bife de fígado e trouxe para o almoço, pois sabe que eu gosto. A Laura é super carnívora e estava comendo bife comum. Quando terminou, pediu mais carne, como de costume. Eu lhe ofereci um pedaço de fígado. Ela examinou o pedaço na ponta do garfo e, em seguida, disse: "Not this, the other meat!" (essa aqui não, a outra carne!) E não comeu do fígado.

Uma outra vez, ela estava no pula-pula e eu comecei a cantar a abertura do pbs kids. Ela gritou e esperneou nervosamente, dizendo no! Como se estivesse com medo (ela costuma fingir que tem medo dessa abertura). Eu então disse para cantarmos outra e comecei a cantar Backyardigans pela metade. Ela disse "ah, Backyardigans is much better! Let's say the beginning!" E começou a cantar desde o início.


Com a prima Gaby no pula-pula


Brincando atrás da casa

No dia da partida, quando meus pais chegaram pra nos levar pro aeroporto, a Laura ficou toda animada. Chamava o vovô antônio e a vovó Letícia para ver ela fazendo de tudo. Pulando, correndo, etc. "Olha, vovô!". "Vem vovó!" Foi uma graça. O engraçado é que, de manhã, ela não queria nem ver os pais da Junia. Acho que ela achou que iríamos embora já cedo, pois ela ficou doidinha com eles nos outros dias.

Fantasiada de Stephanie com a Vovó Glória e o Vovô Noraldo

O vôo saiu na hora e a Laurina estava super tagarela. Eu gravei um áudio com alguns trechos dela falando. Estava ansiosa que o avião decolasse e não parava de falar. Comportou-se muito bem durante toda a viagem, exceto quando tivemos que guardar o iPod, para o pouso em Brasília. Chorou e ficou um pouco histérica. Explicamos a ela o motivo e ela queria mamar. Mas aí eu a distraí com o saquinho plástico, fingindo ser uma cobra, e ela se acalmou logo. Pousamos umas 16:30.

Ao chegar em casa, pouco depois das 17h, a Laura ficou super animada! Na verdade, a princípio, não queria nem subir para o apartamento! Queria brincar embaixo do bloco. Mas a Junia a convenceu. Chegou pulando e cantando e pediu para virarmos o pula-pula para a posição normal. Pulou até. Depois brincou de triciclo, de bolas, com os backyardigans, etc. Estava super feliz de estar em casa e com saudades dos brinquedos. Pedimos Giraffas pra almoçar. No geral, a viagem foi bem legal e a Laura se divertiu bastante.






Nenhum comentário:

Postar um comentário