quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Escrevendo!

Bom, aos 4 anos de idade, depois de começar a ler diversas palavras por conta própria, a Laura nos surpreendeu, há poucos meses, ao começar a escrever, também por conta própria! Ultimamente vive escrevendo bilhetinhos pra gente!

Basicamente ela escreve o som que escuta. Como ela sempre gostou de assistir a material que fala de sons das letras (estilo Super Why), ela sabe direitinho os sons das letras, em inglês e português. Então, ao escrever, a gente vê ela soletrando os sons e desenhando as letras correspondentes. Um problema é que os fonemas no inglês são mais numerosos que o português, logo dá mais trabalho pra ela acertar a palavra.

Normalmente o que ela escreve é legível, se der pra decifrar a ordem de escrita. É que ela ainda não tem noção de organização da escrita. Se chega no fim do papel, ou às vezes mesmo no fim da linha, ela costuma saltar para o início do papel. Daí fica difícil saber onde começa e onde termina seu texto :-) Além do mais, ela costuma "assinar" o que escreve no início do papel.

Como ela ainda é muito nova e não tem obrigação nenhuma de saber ler ou escrever, não tentamos ensinar nada. Deixamos ela livre pra criar. Essas coisas acabam sendo uma diversão pra ela, justamente porque não criticamos nem tentamos ajudar, a não ser que ela peça ajuda. O que fazemos é estimular o interesse, expondo-a a mais material sempre que ela se interessa.

De qualquer forma, não posso deixar de dizer que estamos admirados! É óbvio que há crianças de 4 anos de idade que já leem e até escrevem, mas não é o mais comum e nem o esperado. Na escola da Laura, por exemplo, somente no ano que vem é que começarão para valer com a pré alfabetização. Ela é uma criança inteligente, mas bem compatível com seus colegas de mesma idade. Além da possibilidade de puro acaso, achamos que esse interesse e essa facilidade dela em relação a ler e escrever têm a ver com o bilinguismo.

Eu escrevi uma monografia sobre bilinguismo e seus benefícios para a cognição da criança e aprendi muito sobre o assunto. Além disso, como pais optantes pelo bilinguismo, já lemos uma infinidade de materiais científicos sobre o tema. Diversos autores frisam que há maior consciência metalinguística nas crianças bilíngues, que se traduz pela capacidade precoce em entender, de forma consciente, o que é a linguagem: noções intuitivas de letras, palavras, fonemas, etc.; que há várias línguas, cada qual com suas próprias regras; que a relação entre palavra e significado é mera convenção; etc. Sendo assim, já esperávamos que algum efeito aparecesse, mais cedo ou mais tarde, em algumas habilidades. Esse pode ser um dos aspectos que têm influenciado no desenvolvimento linguístico da Laura.

Outro aspecto pode ser a exposição a material que desperta o interesse precoce da Laura pela linguagem. Esses materiais são quase inexistentes em português para essa faixa etária, mas abundantes em inglês, outra vantagem do bilinguismo. Acabamos deixando que acesse diferentes mídias que tratam do assunto de forma lúdica. Desenhos animados, como "Super Why", canais do Youtube, como o "Have fun teaching" e "Hoopla Kids", apps do iPod e iPad, como "Fish School", "MeeGenius" (biblioteca de livros interativos), "Juno's Musical ABCs", "Super Why", etc. E os livros, é claro, que a Laura tem aos montes e que trata com o mesmo entusiasmo com que trata seus brinquedos favoritos.

Em suma, está sendo uma experiência muito gratificante acompanhar o desenvolvimento dela à luz do bilinguismo. E, até agora, essa aventura bilíngue só tem nos trazido benefícios e surpresas agradáveis.

A seguir eu escaneei alguns pedaços de papel da Laura em que ela, por conta própria, andou escrevendo:




Na imagem acima ela escreveu "Im rili med" (I'm really mad, ou Estou muito brava). Escreveu há umas semanas, quando ficou brava com a Junia, mas não lembramos o motivo. Também desenhou a si mesma e a mamãe naquela mesma folha (de cabeça pra baixo).


Acima ela escreveu "Dot laf - Not ulaod" (Don't laugh - not allowed ou Não riam - proibido). Escreveu essa "placa" quando rimos de alguma coisa que ela fez, por acharmos engraçadinho. Mas ela não gostou, correu pro quarto dizendo que ia fazer uma placa. Daí trouxe esse papel da imagem acima e frisou que era pra pararmos de rir. Tivemos que nos segurar pra não rir ainda mais, pois ela estava falando muito sério! Mas em respeito a ela não rimos :-)



Na imagem acima, ela ficou brava porque a mamãe estava ocupada e não pode brincar com ela naquele momento. Daí escreveu "Don't come to the living room. Because you were busy I'm really mad" (Não venha para a sala, porque você estava ocupada eu estou muito brava) e em letras maiores, depois que passou a raiva: "I love Daddy, I love Mommy, I love Luisa much better" (Eu amo o Papai, eu amo a Mamãe, eu amo a Luisa muito mais).


Não dá pra ver muito bem na imagem acima (tem que clicar pra aumentar), mas ela escreveu, de sua própria cabecinha, os nomes das Meninas Superpoderosas embaixo de cada uma: "Butcp" (Buttercup ou Docinho), "Blosom" (Blossom ou Florzinha) e "Bubboz" (Bubbles ou Lindinha).


No papel acima ela escreveu: "Yu cn cme in mi ru. I love u to. Lolly" (You can come in my room. I love you too. Lolly, ou Você pode entrar no meu quarto. Eu também te amo. Lolly)


E nesse acima ela escreveu: "Sori Im rili sede" (Sorry, I'm really sad ou Desculpe, estou muito triste)

Uma coisa engraçada que ocorreu recentemente tem a ver com o fato de a Laura ter sido sorteada como estrela da semana na escola. A cada semana uma criança é sorteada e, a cada dia dessa seman, ela realiza atividades em que precisa se expressar. Apesar de parecer chato, as crianças adoram, pois têm orgulho de falar de si e de suas famílias, mostrar fotos, etc. A Laura estava super ansiosa pra ser e ficou radiante ao ser escolhida. A Junia se sentou com ela pra preencher o questionário, e perguntou se ela queria escrever. Ela não só quis escrever as repostas, como também começou a ilustrá-las (era esperado que se ilustrasse a resposta com uma foto ou recorte). A Junia tentou ajudar no início, mas depois da segunda pergunta, parou de interferir: Laura estava toda determinada e feliz por estar fazendo sozinha :-) Seguem as folhas do questionário:



Até aqui tudo bem. Ela escreveu algumas palavras e fez os desenhos correspondentes.


Aqui começaram as perguntas mais subjetivas. Por exemplo, à pergunta  4, sobre o personagem favorito, ela escreveu: "Pawrepuf Groz", que realmente soa como "Powerpuff Girls"! Também escreveu "Becirdigus", que separando em "Bec-i-r-digus", também soa próximo de "Backyardigans" :-) Junto com as respostas ela desenhou as meninas e a Uniqua.

Na pergunta 5, o que quer ser quando crescer, ela escreveu: "Dentest and Roc enrol Star" (Dentist and Rock 'n' Roll Star". E desenhou os profissionais :-)

Na 6, como outras colegas da turma dela já fizeram também, escolheu ser um gato se pudesse ser um animal. E desenhou.


Na última página, na brincadeira favorita da questão 7, ela escreveu: "ranin from dedis camra" (Running from Dady's camera, ou correr da câmera do papai). É uma brincadeira em que eu corro atrás dela tentando tirar fotos e ela se esconde o tempo todo! Também nos desenhou.

Na questão 8, sobre o que a deixa feliz, escreveu: "Go to the pleygarod" (Go to the playground, ou ir ao parquinho). E na 9, sobre o que a deixa triste, escreveu: "That mai momi yal et mi" (That my Mommy yells at me, ou Que minha mãe grite comigo).

Finalmente, na última questão, sobre a viagem favorita, escreveu: Diznye (Disney).

É o nosso docinho!


2 comentários:

  1. Que legal, Douglas e Junia! Também aqui em casa oferecemos uma educação bilíngue pra nossa filha de 4 anos, mas no sistema One Parent One Language, porque o papai não fala em inglês, só a mamãe. Mesmo assim, tem sido muito proveitoso, até porque ela tem 2 amiguinhos bilígues para compartilhar as novidades. Muito bons os textos da Laurinha... demais o "Groz"... rss. Gostei também das dicas de desenhos... minha filha gosta muito do Super Why, mas ainda não sabia de outros que vc indicou... vou olhar agora.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Olá colegas da Família Alves Liz, agradecemos pelo comentário e por nos visitarem novamente! Legal saber que vocês também continuam satisfeitos com a experiência do bilinguismo! Abraços,
    Junia.

    ResponderExcluir