sábado, 1 de dezembro de 2012

Lendo?!


A Laura adora livros. Ela brinca de "ler" sozinha no iPod, com seus livros eletrônicos ou nos pede para ler (além da hora de dormir, que já é tradição) praticamente todos os dias. Também já sabe reconhecer há um bom tempo todas as letras do alfabeto, maiúsculas e minúsculas, bem como seus sons (mais em inglês que em português). Estávamos na expectativa de quando ela iria manifestar outras habilidades necessárias para leitura. Neste meio tempo, quando percebíamos uma oportunidade, líamos algumas palavras tentando mostrar como os sons que ela já conhecia se combinavam para formar sílabas e palavras.

"Biblioteca" da Laura

Um belo dia, mais precisamente em 18 de agosto, a Laura leu sua primeira palavra em um letreiro: ROSSI. O Douglas tinha parado para arrumar o retrovisor do carro e eu a vi olhando pela janela, lendo esta palavra da forma que fazíamos com ela de vez em quando:  juntando som por som até ler a palavra inteira. Eu arregalei os olhos e tentei chamar a atenção do Douglas.

Depois deste episódio, tentamos mostrar mais palavras para ver se ela repetia a façanha, mas ela se mostrou resistente.  Às vezes a  Laura reage assim quando está desenvolvendo uma nova habilidade, como se  sentisse pressionada ou tivesse medo de errar. Então demos um passo para trás. Não costumamos forçar nenhum aprendizado, apenas aproveitamos as oportunidades para estimular aquilo em que ela demonstra interesse.

Pois bem, com o tempo ela voltou a  fazer o mesmo exercício, juntando os sons e atualmente tem andado curiosa sobre o que está escrito nos mais diversos lugares.

Segundo o Child development tracker, uma criança vai ter todas as habilidades necessárias para ler, por volta dos 6 anos, quando normalmente são alfabetizadas. Por curiosidade, olhei algumas que a Lolly já tem, em cada faixa etária. Considerei apenas as características relacionadas ao reconhecimento de sons e domínio do alfabeto (ia dar muito trabalho olhar também relacionamento com livros e entendimento do texto  mas este é um quesito em que ela também já tem algumas habilidades de crinaças mais velhas)

entre 3 e 4 anos:
  • identifica palavras que rimam
  • sabe dizer que duas palavras começam com o mesmo som
  • pergunta o que está escrito em diferentes situações
entre 4 e 5 anos:
  • lista palavras que rimam, a partir de uma palavra dita por um adulto
  • consegue quebrar palavras em sons e segmentos
  • sabe que números não são letras
  • confunde letras minúsculas similares como p e q , d e b
entre 5 e 6 anos:
  • consegue reconhecer todo o alfabeto, letras maiúsculas e minúsculas e seus sons
  • consegue ler palavras simples, cuja leitura seria difícil apenas juntando os sons, uma vez que não seguem as regras gerais (sight words) como the, to, for, it,  go, on, up, at, cat, dog (só começando...)

entre 6 e 7 anos:
  • cria novas palavras mudando o som inicial como sun e fun, map e tap
  • funde os sons para formar (ler) palavras (só començando...)
Para acompanhar esta fase,  resolvemos pesquisar livros específicos para crianças que estão aprendendo a ler e descobrimos que em inglês há uma organização bem complexa em níveis de leitura. Estes níveis variam de A até Z e se baseiam nas habilidades que o livro exigirá da criança, como número total de palavras, número de palavras diferentes, suporte de figuras, tamanho e complexidade das sentenças, tamanho e espaçamento das letras, número de palavras por página, dentre outros. Não sei se em porguês é assim também, ainda não buscamos informação. Então compramos livros com sight words e níveis de leitura A, B e C (adequados para crianças em idade pré-escolar - 4 a 6 anos), para termos material  para apoiar o interesse da Laura em ler, à medida que ela se desenvolve. Já colocamos os livros de sight words e leitura nivel A, junto com os demais livros que ela tem,  para  que ela possa explorar. Assim, quando ela quer, brincamos com estes livros e temos tido momentos bem divertidos!

Pacote com livrinhos de sight words - novas aquisições para a "biblioteca" da Lolly
 
Cantinho de arte da Lolly
 Por outro lado, ela demonstra poucas habilidades relacionadas com escrita. Algo que ela ainda está desenvolvendo é sua coodenação motora fina, o que se reflete no resultado de atividades que requerem representação gráfica, como desenhar, colorir e escrever.  Com exceção de pintura ou apps, espontaneamente é difícil ela procurar atividades desta natureza para brincar.  Assim, para ajudar com este desenvolvimento, este semestre a Laura começou a fazer aula de artes duas vezes por semana. Está adorando!





Nenhum comentário:

Postar um comentário