sexta-feira, 13 de julho de 2012

Barriguinha pós-parto

Durante 3 anos fui confundida com grávida.  De colegas menos chegados (aqueles que te encontram no corredor e perguntam se você está grávida de novo...) a estranhos. Perguntavam quantos meses, punham a mão na minha barriga!

Eu me orgulhava da minha barriga de grávida. Amava. E prezava muito o fato de não ter barriga antes da gravidez. Tentava ignorar estas confusões (não sem arranhões à minha autoestima), pois entrar em forma não era minha prioridade. Eu já havia optado por uma dedicação o mais exclusiva possível à Laurinha neste início, pois sei o quanto isso é importante.

Não que eu não estivesse fazendo atividade física. Até para dar conta da rotina com a Laura, eu voltei a particar exercícios 2 vezes por semana quando a Laurinha estava com 1 ano e meio. Comecei com pilates e depois mudei para power plate (o treino só durava 30 minutos. Perfeito). Mas a partir de março deste ano resolvi que iria dedicar uma hora por dia, pelo menos 3 dias por semana a recuperar minha forma. Isso siginificava basicamente perder a barriga.

Apelei para a musculação (que sempre detestei e nunca pratiquei antes) acompanhada de um pouquinho de aeróbica. Em 2 meses ganhei mais um quilo. Pânico. Não queria nem saber se estava ganhando músculo. Fui atrás de outra coisa que me orgulhava de nuca ter feito: dieta. Após uma tentativa infeliz com uma dieta de baixo índice glicêmico, descobri a dieta de South Beach. Recomendo. Esta dieta  mudou a minha forma de ver nutrição. Mas isto é outra história.

Com tudo isso, agora em julho ninguém me confundiria mais com uma grávida. Perdi 3 quilos e 4 cm na barriga.  Mas, aparentemente sem mais gordura a perder, continuava tendo uma barriguinha em torno do umbigo. Ainda não tinha atingido a meta de voltar a usar meus vestidos sem ficar com a barriga marcada.

Foi quando, quase que por acaso, o Douglas descobriu sobre diástase. Contou para colegas que eu estava fazendo dieta e elas se espantaram, pois sempre fui magra. Ele disse que eu estava incomodada com a barriga e elas disseram "Hum... será que ela não tem diástase?..". Em poucos minutos o Douglas já tinha pesquisado um pouco e mandado um livro para o meu celular: Loose your Mummy Tummy, da Julie Tupler.

Diástase ocorre quando o útero cresce e empurra o abdomen para frente. Após a gravidez, pode ocorrer  que o tecido que conecta os músculos retos abdominais, que é muito forçado durante a gravidez, não se recupera (ele como que se "esgarça") e sobra um espaço entre estes músculos. O resultado é que seu abdomen não segura mais os orgãos internos como antes e este é o motivo da barriguinha que aparentemente não se resolve com dieta ou exercício.

Eu que tinha começado a praticar abdominais (com o apoio de uma app para iPhone) há poucos dias, parei tudo. Fiz o autoexame explicado no livro e, na minha avaliação, estava com uma diástase de 4 dedos de distância. Descobri que vários tipos de exercício aumentavam a diástase, principalmente abdominais tradicionais.

Diástase - antes de depois do tratamento com a técnica Tupler

A solução tradicional para este tipo de problema é a cirurgia. Mas para minha sorte, o que o Douglas recebeu foi a indicação de uma técnica não invasiva. Uma reabilitação do músculo, chamada Técnica Tupler. E qual não foi a minha sorte: a única profissional certificada nesta técnica no Brasil, a Rafaela Rosa, atende aqui, em Brasília!

Minha consulta com a Rafaela foi ontem.  Adorei. Ela é especializada em saúde da mulher e também atua como doula. Ela faz uma série de trabalhos com mães, antes, durante e após o parto, não só o da técnica Tupler. Na avaliação dela, minha diástase está com 5 dedos, um pouco mais do que tinha identificado no autoexame. Outra novidade foi que estou com uma diástase profunda (pode ser superfecial, média ou profunda), o que significa que o tecido conectivo foi bem danificado e o tratamento pode levar um pouco mais que a média para fechar a diástase.

Na consulta ela também fez pequenas correções na forma como eu estava executando os exercícios (que comecei a praticar há 3 semanas, durante a leitura do livro) e me deu dicas preciosas de como executá-los de forma mais eficiente. Além disso, preciso usar uma faixa especial na região da barriga até a diástase fechar. Tenho acompanhamento a cada três semanas para avaliar o progresso e passar para exercícios mais avançados.
Livro, guia e faixa

Considero-me muito sortuda por ter descoberto tudo isto e espero que esta informação ajude outras mães. Mas lamento não ter tido este conhecimento antes da gravidez, pois certamente teria incluído os cuidados específicos com a musculatura do abdomen dentre os que tive. A técnica Tupler pode ser aplicada também preventivamente, antes e durante a gravidez.

21 comentários:

  1. Post excelente Juninha! Muito util esta informacao.
    Boa sorte la com esta tecnica, espero que a "barriguinha de gravida" suma de vez! :)

    ResponderExcluir
  2. Será que isso se resolve com mais de 2 anos??

    ResponderExcluir
  3. Sim!! Resolve a qualquer tempo. A Rafaela tem pacientes até de 80 anos. Eu mesma comecei três anos depois. Não tem hora pra começar.

    ResponderExcluir
  4. Junia, boa tarde!

    Você ainda está fazendo o tratamento? Como está o resultado?
    Moro no Rio de Janeiro, tenho um filho de 1 ano e meio, descobri hoje que estou com diástase (ainda não sei mais detalhes) mas vou comprar o livreto e a faixa da Rafaela...estou conversando com ela por e-mail e gostaria de saber da sua percepção a respeito da técnica.
    Parabéns pelo post! Sempre me informei muito, mas não vi absolutamente nada sobre isso durante a gestação...os médicos bem que podiam nos preparar para isso né?!

    ResponderExcluir
  5. Olá! Há outros posts onde falo mais do tratamento. Recebi alta em setembro, como conto neste post: http://coisinhasdelaurinha.damarques.com/2012/09/barriguinha-pos-parto-fim-do-tratamento.html

    Também fiquei intrigada e até mesmo com um pouco de raiva de nunca ter ouvido falar disso antes. Minha obstetra nunca me disse nada.

    O tratamento funciona. Não vai resolver tudo, mas no meu caso melhorou a aparência da barriga uns 90%. Acho que é possível fazer a distância e a chave para o sucesso é disciplina. Tenho algumas amigas fazendo e todas com resultados satisfatórios.

    Eu continuo fazendo a manutenção, que pra mim vai durar o resto da vida rsrs... é uma rotina de exercícios que incorporei no meu dia a dia e não me arrependo.

    Abraços e boa sorte!

    ResponderExcluir
  6. Junia, também moro em Brasília. Tive minha filha fazem 2 meses..e estou com a barriguinha que não sái.. eu sempre fui magra e sempre pratiquei atividade física.. (nadei até os 6 meses de gestação). Descobri a diástase por um site de maternidade que acompanho. Eu, infelizmente, também fiquei com essa separação. Fiquei indignada de ninguém ter me alertado disso! Usei cinta sem nenhum tipo de rigor, na verdade, mal usei. Muito legal você escrever sobre isso, vou procurar a Rafaela.

    ResponderExcluir
  7. Boa noite!
    Moro no extremo norte do país e tenho diastase. Gostaria de entrar em contato com a Rafaela por meio do email para saber se posso fazer o acompanhamento a distância. Sou magrinha peso apenas 49 kilos e o fato dessa barriga sobresalente me incomoda bastante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Márcia,
      você vai encontrar os contatos da Rafaela aqui: http://www.rafaelarosa.com.br/index.php?p=contato

      Abraço,
      Junia

      Excluir
  8. Bom dia!

    Obrigada pelas dicas.


    Bjs.
    Márcia Andréia

    ResponderExcluir
  9. Junia,

    Sou a Sabrine, moro em Macae/RJ; através do seu blog, tive a oportunidade em conhecer o programa, tendo contato com a Rafaela e adquirido a faixa e o livreto de explicação; Bom estou na minha quarta semana, vejo que a musculatura esta mais firme e até aparente como vc disse que aconteceu com vc! "oba"!!! Isso é muito bom, mas a respeito da minha diástase, acredito que poderia está melhor, pelo fato de está na quarta semana... acho que esta faltando a questão das dicas preciosas para os exercícios com mais qualidade. Como moro longe, estou fazendo sozinha e gostaria muito que vc me ajudasse com algumas dicas. Vc tem Skype? Meu e-mail eh Sabrine.souza@hotmail.com Agradeco demais!!! Sabrine Souza

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sabrine,
      legal que já está percebendo progressos. O programa completo pode levar 18 semanas, ou até mais, dependendo do caso. É difícil dizer se os seus resultados poderiam ser melhores com tão pouco tempo... Além disso, a resposta ao tratamento é bem individual.

      As dicas para fazer os exercícios com mais qualidade também são específicas. Serão dadas após uma análise por um profissional habilitado de como você está praticando os exercícios. Veja a lista de profissionais certificadas no Brasil: http://diastasisrehab.com/licensees.php#br

      Como você começou com a Rafaela, sugiro que a procure novamente para outras orientações, ok?

      Abraços, e boa sorte!

      Excluir
  10. Tenho muitas dúvidas sobre essa tecnica, comprei a cinta e o livro com a Rafaela, + moro muito distante, queria tanto que me ajudasse, pois não tenho à quem perguntar... Se puder me ajudar, comecei à 5 dias e estou anciosa, tenho somente 2 dedos de diástase, e estou tentando fazer os exercícios passo à passo...

    ResponderExcluir
  11. Cara Cleia, desculpe a demora em responder... O que tinha para compartilhar da minha experiência, está nos posts. Infelizmente, mais que isso, não me sinto em condições de orientar, pois não sou uma profissional habilitada e acho que não estaria sendo responsável se o fizesse. Só uma análise individualizada por um profissional certificado na técnica poderá te dar dicas que realmente funcionam pra você.

    Espero que seu tratamento esteja dando certo.
    Abraço, Junia.

    ResponderExcluir
  12. Junia, gostaria de um auxílio de onde posso comprar a cinta e o livro, por que vejo anúncios de vários tipos de faixa, porém quero comprar o original dessa técnica tupler. E o material só existe na versão em inglês? Obrigada!!! Não consigo contato com dra. Rafaela :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Puxa, desculpe Ana... Há muito não vejo os comentários do blog, não estava sendo notificada por email!!... Há um site oficial, mas não sei se vende para o Brasil (https://diastasisrehab.com/shop/therapeutic-products/11-diastasis-rehab-splint.html). Vc pode tentar conseguir a faixa com quem aplica a técnica no Brasil:https://diastasisrehab.com/licensees#br.

      Excluir
  13. Olá Junia, preciso de sua ajuda, por favor me responda. Tive meu segundo filho há 1 ano e 3 meses, já fui a um cirurgião plástico, pq voltei ao peso normal antes da gravidez, sempre fui magra e sem barriga também, hj vivo com cinta, dia e noite e vivo murchando a barriga. Mesmo assim não consigo ficar sem blusa nem perto do meu marido e ele vive falando qeu minha barriga está horrível, ou seja autoestima zero. Segundo o cirurgião são 5 cm de diástase, estou com receio da cirurgia para ser sincera, como ficou sua barriga após a técnica tupller, funcionou mesmo? Obrigada - meu e-mail é: ferdanelon@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Puxa, desculpe... Há muito não vejo os comentários do blog, não estava sendo notificada por email!!... Há um site oficial, mas não sei se vende para o Brasil (https://diastasisrehab.com/shop/therapeutic-products/11-diastasis-rehab-splint.html). Vc pode tentar conseguir a faixa com quem aplica a técnica no Brasil:https://diastasisrehab.com/licensees#br.

      Excluir
    2. E sim, a técnica funciona mesmo!! Na segunda gravidez fiz o acompanhamento durante a gravidez e usei a faixa depois que a minha filha nasceu, sem acompanhamento. Deu certo!

      Excluir
  14. boa tarde
    tenho a mesma duvida da ana maria souza
    quero comprar a cinta, mas quero a original, mas nao sei onde e qual site e confiavel
    alguem pode me indicar?

    ResponderExcluir
  15. Junia, agora tem uma médica chamada Beatriz Araújo. Você conhece alguém que já tenha feito o tratamento com ela?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Puxa, desculpe... Há muito não vejo os comentários do blog, não estava sendo notificada por email!!... Infelizmente não posso te dar uma referência, não conheço ninguém que fez o tratamento com a Beatriz.

      Excluir