terça-feira, 30 de novembro de 2010

Brincando de Aprender

Com um ano e nove meses, a Laurinha entrou naquela fase de explosão de linguagem que dizem começar entre um ano e meio e dois anos de idade. Já percebemos que, embora ela ainda só fale frases simples e objetivas, como "let's go walk?" quando quer passear, ou "change poopoo" quando faz cocô e quer ser trocada, ela entende a maioria das coisas que dizemos. Às vezes nos surpreendemos com as reações dela ao que dizemos, quando não esperávamos que entendesse! E pelo fato de lhe estarmos dando uma educação bilingue, falando inglês dentro de casa e português fora, à primeira vista o vocabulário dela não parece muito vasto. Mas é bem grande se considerarmos as duas línguas.


Tentamos mostrar a ela diversos materiais educativos que sejam bem divertidos e compatíveis com sua idade.  Vamos, então, percebendo do que gosta mais, seja nos livrinhos, DVDs, Discovery Kids, Youtube ou até no iPod. De fato, atualmente somente mostramos o que ela pede, a não ser que seja algo novo que introduzimos. E ela tem mostrado um gosto especial por números, cores, formas e letras. Mas, claro, não deixa de ver Backyardigans!

Cada vez mais falante, ela já enumera uma série de cores e formas e consegue contar até 11 em inglês e português com muita desenvoltura (rápido, devagar ou no ritmo de alguma música). O 11 é por causa desta musiquinha do youtube aqui. Adora brincar de 1,2,3 e já! (e ready, set, go!) e já começa a reconhecer a relação entre quantidades e os plurais das palavras, embora ainda não mapeie muito bem os números nas quantidades. Por exemplo, outro dia, ao ver várias  formigas no chão, apontou o dedinho e foi contando de 1 até 9, terminando com "dez formigas". Outro exemplo, quando estava mamando, parou, apontou para cada um dos peitos e disse "one, two nummies".


As formas ela já falava desde antes de um ano. Sempre adorou o Mister Maker e suas e suas formas: círculo, triângulo, quadrado e retângulo. Ao longo dos meses ela as via em tudo para que olhava. Por volta de um aninho ela as pronunciava de forma bem básica, como "qué" no lugar de "square", por exemplo. Mas hoje já pronuncia muito direitinho, com todas as sílabas bem articuladas. De fato, de tão comuns pra ela, até perdeu um pouco o interesse e nem nos pede mais para desenhá-las, preferindo outros tipos de desenho.


Ela passou a dar mais atenção às cores há alguns meses, quando passou a brincar com placas coloridas de EVA (emborrachadas). Eu as havia comprado quando ela começou a se interessar pelas formas, depois dos seis meses de idade, para recortá-las e criar formas geométricas. Como as folhas são bem grandes, ainda sobrou bastante área, e as guardamos. Um belo dia a Laura as viu e deixamos que brincasse. O legal é que, apesar de finas, são bem resistentes e não deslizam no chão, permitindo que ela ande (ou corra!) sobre elas.

Em pouco tempo ela já estava conhecendo todas: azul, amarelo, vermelho, verde, roxo, branco, marrom, cinza, bege, laranja, rosa, preto, etc. Fala todos os nomes quando as apontamos e indica a cor correta quando dizemos o nome. Algumas cores ela não tem em EVA, mas conhece por ter visto no Youtube: magenta e ciano.


Uma brincadeira legal que fazemos com as placas é colocá-las em fila, formando um caminho. Aí seguimos pisando sobre elas e falando as cores. Ela acha bem divertido.


Quanto a letras, ela já canta quase toda aquela musiquinha do ABC e muitas vezes, quando vê algo escrito, começa a falar A,B,C..., mostrando que sabe que aquilo tem algo a ver com as letras :-) E ela que antes vivia nos pedindo para desenhar formas, como quadrados, triângulos, etc, agora prefere que "desenhemos" seu nome. Com frequência ela aponta para sua lousa ou para uma folha de flipchart e pede "Lolly", "Mommy" e "Daddy".

Também adora ver flashcards animados que associam a letra com o objeto no iPod Touch (ex: A is for Apple, B is for Ballon, etc) e filminhos relacionados no Youtube. Ultimamente ela tem adorado este aqui.

Compramos também, há alguns meses, diversos livrinhos infantis na Amazon, em formato "board book" (aqueles com folhas duras, à prova de bebês). Fizemos isso porque não é muito fácil achar bons livros em "board book" no Brasil e, quando achamos, são traduzidos (pessimamente) do inglês. Alguns perdem totalmente o sentido de ser na tradução, como um que considerava "morcego" e "xícara" como primeiras palavras aprendidas por um bebê!  (certamente traduzidas de "bat" e "cup", bem mais curtas para um bebê pronunciar). Já que queremos que ela tenha contato com o inglês desde cedo, preferimos comprar os livros diretamente em inglês. E há vários que ela adora e se diverte muito ao "ler" conosco!

O mais interessante disso tudo é que nada disso é "ensinado" a ela, no sentido tradicional da palavra ensinar. Tudo é brincadeira e, muitas vezes, sem intenção exatamente educativa. As placas de EVA, por exemplo, eram só pra brincar, mas acabaram ensinando-lhe as cores. Os flashcards animados são joguinhos no iPod para distraí-la nos momentos de mais estresse (filas de espera, pediatra, etc), mas ela acaba memorizando algumas letras. E por aí vai. Isso mostra como aprender e brincar estão tão relacionados nessa fase do desenvolvimento da criança. É só fornecer um ambiente rico (e claro, com a atenção dos pais) e elas vão tirar o máximo proveito, sem esforço. Mas também sabemos que muitas dessas coisas que ela supostamente está aprendendo não passam de memorização e só vão fazer sentido mesmo daqui a alguns meses. Mas nem por isso deixa de ser uma gracinha :-)

Nenhum comentário:

Postar um comentário