sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

I don't want to sleep by myself!

Dot and Dash... Scary? Lolly thinks so!
Tudo começou em meados de setembro do ano passado. A Laura acordou no meio da noite, aparentemente após um pesadelo. Como de costume, peguei no colo, fiquei com ela até que ela voltasse a dormir. Nada demais. No dia seguinte ela disse que tinha tido um pesadelo com PBS Kids (personagens da figura acima). A partir de então, ela começou a dizer todas as noites:

  • "I don't want PBS Kids (... Spiffy, Specled frogs, Boom Boom, Gummy Bear)". ["Eu não quero PBS Kids (... Spiffy, Specled frogs, Boom, Boom, Gummy Bear)]" - Falando de personagens e músicas de que ela tem medo, por mais inofensivos que nos pareçam...
  • "I don't want bad dreams" ("Eu não quero sonhos ruins").
  • "I don't want to sleep by myself " ("Eu não quero dormir sozinha").
  • "I'm afraid of the dark" ("Tenho medo do escuro") - Sempre que apagamos a luz antes de dormir. 
Medos são esperados nesta idade, em que a imaginação é intensa e criaturinhas de faz-de-conta viram monstros fácil, fácil... No caso da Lolly, o medo se confunde com a dificuldade que ela tem de lidar com situações de suspense. Ela fica super agitada com a expectativa e chega a bloquear os ouvidos, quando sabe que, por exemplo, a próxima música que vai tocar é a "Boom, Boom".  Como em outras situações envolvendo emoções, parece que ela sente a expectativa com tanta intensidade que é difícil tolerar.

PBS Kids, Spiffy, são símbolos das produtoras de desenhos (Superwhy e Jack's Big Music Show, respectivamente) que aparecem após o fim dos episódios. A Laura inclusive deixou de assistir desenhos que gostava para não ter que lidar com eles. O Gummy Bear ela conhece de alguns clips que costumávamos assistir quando ela era menor. Em muitos momentos ele aparece repentinamente na tela, o que é acompanhado por um som mais alto na música do clip...

Fiquei com receio de que estes medos se tornassem motivo para que ela voltasse a acordar com frequência à noite. Mas até agora isso não aconteceu. A mudança foi na rotina da hora de dormir, que agora inclui um ritual "espanta monstros".  Na prática, usamos um spray para aromatizar ambientes e, a cada borrifada, espantamos uma "criatura".


Sandman e os bons sonhos
Um recurso que ajuda também é invocar o Sandman, que ela conheceu após assitir o filme A Origem dos Guardiões (o problema é que o filme fala também do Boogeyman, que virou mais um personagem da sua  "lista negra"). Sempre dizemos que o Sandman só vem quando está escuro, pra trazer os sonhos bons. E como na lenda originada no norte europeu, confirmamos que as remelas no olho pela manhã são sinal de que o Sandman veio.

Sempre reconhecemos os medos da Laura e lhe asseguramos que ter medo é natural. Mas também esclarecemos que os personagens de que tem medo são faz-de-conta, que os sonhos só acontecem dentro da nossa cabeça. Também lhe asseguramos que ela nunca está sozinha à noite, pois estamos alí bem pertinho e é só chamar.  Pelo menos por enquanto, estas afirmações e o spray "espanta-monstros" tem sido suficientes para garantir uma noite de sono tranquila.


Nenhum comentário:

Postar um comentário